OPERAÇÃO

Três pessoas são presas em flagrante por furto de energia em Várzea Paulista

Foram constatadas irregularidades em dois estabelecimentos do município

Por Redação | 25/08/2023 | Tempo de leitura: 2 min
CPFL

Divulgação

Operação da CPFL Piratininga e as polícias Civil e Científica contra fraudes e furtos de energia
Operação da CPFL Piratininga e as polícias Civil e Científica contra fraudes e furtos de energia

Nesta quinta-feira, dia 24, três pessoas foram presas em flagrante durante operação de combate a fraudes e furtos de energia - os famosos “gatos”, em um galpão de ferro velho e em uma empresa de entulho de Várzea Paulista. A fiscalização, realizada pela CPFL Piratininga, distribuidora do Grupo CPFL Energia,?em conjunto com equipes das polícias Civil e Científica, identificou ligações clandestinas que alimentavam os dois estabelecimentos.

A equipe da distribuidora regularizou a medição retirando todas as conexões clandestinas ligadas à rede elétrica e irá realizar os cálculos sobre a quantidade de energia desviada. Os respectivos valores serão repassados pela companhia aos responsáveis pelas fraudes. As investigações serão conduzidas pelas autoridades policiais.

Essas operações de inspeção são realizadas de forma permanente e têm como objetivo coibir uma prática ilegal que causa o encarecimento das tarifas para todos os clientes da distribuidora, piora a qualidade do fornecimento de energia e coloca em risco a vida da população. A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) distribui parte dos prejuízos causados pelas “perdas comerciais”, como são denominadas as fraudes, para a tarifa da distribuidora detentora da concessão onde ocorreu o crime, no momento das revisões tarifárias.

Vale lembrar que os atos de fraudar ou furtar de energia são crimes previstos no Código Penal, e a pena pode variar de um a quatro anos de detenção. Também são cobrados dos fraudadores os valores das tarifas referentes a todo o período em que ocorreu o roubo, acrescidos da devida multa.

Outra consequência negativa é a piora na qualidade do serviço prestado, para todos os outros clientes. As ligações clandestinas sobrecarregam as redes elétricas, deixando o sistema de distribuição mais suscetível às interrupções no fornecimento. Consumidores que cometem o crime também estão colocando em risco as suas vidas e da população. Pessoas não habilitadas que tentam manipular o medidor de energia ou realizar ligação direta na rede elétrica podem causar acidentes graves, até mesmo fatais.

Clientes da CPFL Piratininga, que atende 1,9 milhão de clientes em 27 municípios no litoral e interior paulista, podem contribuir, de forma sigilosa, para o combate às irregularidades, por meio dos canais disponibilizados pela concessionária: o app “CPFL Energia”, disponível para todas as plataformas de dispositivos móveis, pelo site www.cpfl.com.br/fraude ou pelo e-mail denunciafraude@cpfl.com.br.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.