PREJUÍZO

Piscina pública de Campinas é interditada após vândalos jogarem óleo de cozinha na água

A piscina do Clube Municipal Dr. Roberto Angelo Barbosa está inteditada para manutenção

Por Leonardo Vieira | 02/05/2024 | Tempo de leitura: 1 min
Especial para a Sampi Campinas

Divulgação

Piscina está interditada para manutenção
Piscina está interditada para manutenção

A piscina do Clube Municipal Dr. Roberto Angelo Barbosa, na Vila 31 de Março, em Campinas, está fechada nesta quinta-feira, 2, após vândalos despejarem duas garrafas pets de dois litros de óleo usado na água. 

O processo de recuperação da água já foi iniciado e a piscina deve ser liberada quando estiver apta para receber os usuários. O secretário de Esportes e Lazer, Fernando Vanin, lamenta mais uma vez o registro de um novo ato de vandalismo e lembra que este tipo de ação tem reflexos diretos na comunidade.

”É prejuízo para quem utiliza o espaço público, sempre. A secretaria tem uma despesa anual de R$ 2,5 milhões com a conta de água. Só de produto para tratar as piscinas o custo fica entre R$ 500 mil e R$ 600 mil, ou seja, com o vandalismo os valores aumentam, e quem paga, é o cidadão de bem”, afirmou.

Segundo a administração municipal, os atos de vandalismo têm sido cada vez mais frequentes nas Praças de Esportes da Prefeitura Municipal e as piscinas que são um dos equipamentos mais visados, com reincidência de casos como arrombamento de porta do prédio sede, quebra de lâmpadas de led, destruição de alambrado, quebra de tabelas utilizadas nas quadras de basquete e pichações.

O autor do vandalismo não foi identificado.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.