CUSTOS

HC da Unicamp apresenta déficit de R$ 4,5 mi por mês e pede 'socorro' ao SUS

O Ministério da Saúde repassa, mensalmente, R$ 8 milhões ao hospital. O valor, no entanto, não é suficiente para custear a demanda de procedimentos SUS.

Por Higor Goulart | 23/06/2023 | Tempo de leitura: 1 min
Especial para a Sampi Campinas

Divulgação

Hospital de Clínicas recebe R$ 8 milhões por mês do teto SUS
Hospital de Clínicas recebe R$ 8 milhões por mês do teto SUS

A defasagem no valor do teto SUS forçou um déficit mensal de R$ 4,5 milhões aos cofres do Hospital de Clínicas da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). De acordo com a superintendente da unidade, Elaine Ataide, o valor repassado pelo Ministério da Saúde não é suficiente para cobrir os custos em procedimentos de média e alta complexidade do SUS. 

“Hoje, o hospital recebe R$ 8 milhões por mês, só que esse valor está totalmente empenhado na folha de pagamento. Com isso, a gente não tem dinheiro para custeio”, explicou Elaine.

Para manter os atendimentos, então, o déficit milionário fica sob responsabilidade da própria Unicamp e por recursos provenientes da Secretaria Estadual de Saúde. “Para equacionar esse problema, precisamos de um reajuste no valor do teto”, reforçou. 

O reajuste foi solicitado diretamente à ministra da Saúde, Nísia Trindade, que esteve na Unicamp na terça-feira, 20. No documento, Elaine reforça o aumento na demanda de atendimentos SUS e como isso tem afetado o orçamento da universidade. 

A superintendente solicitou ainda dois aceleradores lineares, utilizados para a realização de radioterapia. Um seria utilizado no HC, enquanto o outro no Hospital da Mulher – Caism. “A ministra foi muito receptiva e disse que, no que depender dela, irá ajudar”, afirmou Elaine.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.