LUTO

Ex-jogador do amador morre em UPA de Bauru à espera de internação

Por Guilherme Matos e André Fleury Moraes | da Redação
| Tempo de leitura: 1 min
Divulgação
Diego Rodrigues, 40 anos
Diego Rodrigues, 40 anos

Diego Rodrigues Aparecido Custodio, 40 anos, conhecido como Tiopinha, morreu nesta quarta-feira (10), por volta das 17h, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Bela Vista enquanto aguardava vaga de internação em hospital. Conhecido no meio do futebol amador bauruense e com passagem em diversos times, o ex-jogador deixa seis filhos: Quetelen, Querolen, Raíssa, Diego, Arthur e Antony.

De acordo com sua ex-esposa Elizabete Venâncio da Silva, 33 anos, ele deu entrada na UPA Bela Vista apresentando tosse com sangue. Segundo ela, os médicos suspeitam de uma pneumonia, mas a causa da morte ainda não foi confirmada.

A Secretaria de Saúde informa que o paciente citado pela reportagem retornou à UPA Bela Vista às 10h49min desta quarta-feira (10), relatando febre, sintomas gripais e apresentando quadro de esforço respiratório (saturação em 85%), sendo prontamente encaminhado para a sala de emergência. Ele já havia estado na unidade nos dias 8 e 9, relatando apenas dor de garganta (saturação em 98% e 97% respectivamente). Após apresentar queda da pressão arterial, às 11h46 o médico responsável solicitou vaga para internação hospitalar, via Cross, com status de prioridade. O paciente foi intubado e, mesmo com os esforços e a realização dos protocolos médicos, faleceu as 16h15.  A Secretaria da Saúde informa que o paciente recebeu toda a assistência e cuidados necessários da equipe médica e de enfermagem e se solidariza com familiares e amigos do paciente.

Ao JC, Elizabete conta que Diego era um homem  “com coração enorme e que ajudava o próximo sempre que podia”.

As informações a respeito do velório e do sepultamento ainda não foram confirmadas pela família.




Comentários

1 Comentários

  • Francisco 2 dias atrás
    Mais um bauruense vítima da saúde precária do nosso município, até quando vamos ter que conviver com notícias desse tipo?