ENCHENTES NO SUL

RS: Passadeiras são levadas pelas águas 8 dias após a construção

Duas passadeiras flutuantes que ligavam Arroio do Meio a Lajeado, no Rio Grande do Sul, foram levadas por nova enxurrada provocada por fortes temporais nesta quinta-feira (23).

24/05/2024 | Tempo de leitura: 1 min
da Folhapress

Reprodução/Facebook Alisson Freitas

Uma das passarelas (localizada no rio Forqueta) se rompeu e levou a segunda, com a correnteza
Uma das passarelas (localizada no rio Forqueta) se rompeu e levou a segunda, com a correnteza

Duas passadeiras flutuantes que ligavam Arroio do Meio a Lajeado, no Rio Grande do Sul, foram levadas por nova enxurrada provocada por fortes temporais nesta quinta-feira (23). Ninguém ficou ferido.

A informação foi confirmada pelo Exército, que ajudou a construir os equipamentos. O Comando Conjunto da Operação Taquari disse, em nota, que uma das passarelas (localizada no rio Forqueta) se rompeu e levou a segunda, com a correnteza.

As passadeiras já haviam sido interditadas. A decisão aconteceu por precaução, em decorrência do aumento do volume de água e da correnteza no rio Forqueta. O Exército informou que outra ponte deve ser construída, assim que as condições climáticas e a situação do rio permitirem.

As passadeiras foram destruídas oito dias após inauguração. Elas foram construídas para restabelecer a ligação das duas cidades, que estavam isoladas devido à queda das pontes principais após as enchentes do início do mês.

A estrutura tinha 80 metros de extensão e permitia a passagem de 45 pessoas por minuto. Antes da construção das passadeiras, os municípios viviam em situação crítica, e a travessia era feita com barcos de voluntários ou botes do Exército.

Fale com a Folha da Região! Tem alguma sugestão de pauta ou quer apontar uma correção? Clique aqui e fale com nossos repórteres.

Receba as notícias mais relevantes de Araçatuba e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.