Mais de mil peregrinos vão a pé ao Santuário em Cássia

Nesta quarta-feira, 22 de maio, celebra-se o dia da padroeira das causas impossíveis.

Por Pedro Baccelli | 22/05/2024 | Tempo de leitura: 2 min
da Redação
Sampi/Franca

Reprodução

Marmorista Ronaldo Veronezzi: peregrino em Cássia (MG)
Marmorista Ronaldo Veronezzi: peregrino em Cássia (MG)

"Não foi fácil. Muita dor no joelho, coluna e sola dos pés, mas valeu a pena. Santa Rita significa muito, ela é muito milagrosa".

Fé e devoção. Razões que levaram o marmorista Ronaldo Veronezzi a visitar o Santuário de Santa Rita de Cássia nesta quarta-feira, 22. Mais de mil peregrinos chegaram a pé a Cássia (MG), a 63 km de Franca, para celebrar o dia da padroeira das causas impossíveis e protetora das viúvas.

A programação começou às 6 horas com a Santa Missa dos Peregrinos, celebrada pelo reitor do santuário, o padre Michel Pires. "Que graça podermos louvar a Deus contando com a intercessão de Santa Rita neste Santuário, neste lugar sagrado, com essa participação expressiva de tantos fiéis devotos e devotas", disse o clérigo.

Também é festejado os dois anos do maior templo dedicado à santa no mundo. Durante a Santa Missa houve o acolhimento da relíquia, um fragmento da divindade que veio diretamente da Itália para fazer morada no Santuário.

"Fomos presenteados neste ano de 2024 com uma relíquia de primeiro grau. Temos a dádiva de ter conosco Santa Rita de Cássia através da relíquia; podemos contemplar, venerar a relíquia de Santa Rita de Cássia e sentir a presença da própria Santa em nosso meio, ainda que espiritualmente, unirmos a ela, confiando nossas vidas e causas impossíveis", complementou o reitor.

Peregrinos de cidades como Alpinópolis (MG), Aparecida (SP), Bom Jesus da Penha (MG), Delfinópolis (MG), Franca, Itaú de Minas (MG), Mateus Leme (MG), Orlândia (SP), Passos (MG) e São Paulo (SP) estiveram presentes na celebração.

"É o terceiro ano consecutivo que venho. É maravilhoso, uma experiência única de aprendizado espiritual. Santa Rita é intercessora das causas impossíveis e muitas coisas a olho humano a gente não entende, mas ela tem um toque especial nas situações", disse a professora de Franca Letícia Rodrigues.

"Peregrinei por 46 km. É muito difícil, mas, não tem uma graça que pedimos à Santa Rita que ela não alcança. Ela que dá forças para gente chegar. Santa Rita é apoio, fé, consolo, coragem. Ela é minha saúde, minha sobrevivência. Viva Santa Rita!", completou a comerciante de Passos Monalisa Leite.

A programação seguiu com Rosário de Santa Rita e bênção das rosas; Missa das Rosas, com Dom José Lanza Neto; Missa da Misericórdia, com padre Dione Piza; e Missa de encerramento, com o padre Chrystian Shankar.

Santuário de Santa Rita de Cássia: maior do mundo dedicado à santa
Santuário de Santa Rita de Cássia: maior do mundo dedicado à santa

Fale com a Folha da Região! Tem alguma sugestão de pauta ou quer apontar uma correção? Clique aqui e fale com nossos repórteres.

Receba as notícias mais relevantes de Araçatuba e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

2 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

  • Adauto Casanova
    23/05/2024
    Rodovias perigosas, sem condições para receber essas peregrinacoes...
  • Saberiam Dizer
    22/05/2024
    No caminho da peregrinação passaram pelas pela periferia pobre de Cássia??, viram as criancinhas nuas magras?, os idosos?, é lá que Jesus vive, não é nos templos de mármore com lojinhas vendendo imagens, não.