EM SP

Imagem viraliza, e PM afasta policial que deu tapa em mulher no metrô; VÍDEO

A agressão, que aconteceu na Linha 1-Azul, foi registrada em vídeo por um passageiro.

08/04/2024 | Tempo de leitura: 1 min
da Redação

Reprodução/Facebook

O caso aconteceu no último sábado (6).
O caso aconteceu no último sábado (6).

A Polícia Militar identificou e afastou o policial militar filmado dando um tapa no rosto de uma mulher que estava no chão da Estação da Luz do metrô. O caso aconteceu no último sábado (6), e as imagens viralizaram durante o fim de semana, levantando hipóteses sobre a motivação.

Leia também: Lula falha no combate à violência policial, diz Human Rights Watch

A SSP (Secretaria da Segurança Pública), confirmou o afastamento ao Metrópoles, e informou que a Polícia Militar instaurou IPM (Inquérito Policial Militar) para investigar o caso.

A agressão, que aconteceu na Linha 1-Azul, na estação Tucuruvi, foi registrada em vídeo por um passageiro. Nas imagens, a vítima, que estava usando bermuda com as cores do movimento LGBTQIA+, relata o próprio ataque.

A Secretaria Municipal da Diversidade informou que presta apoio à vítima, que é moradora de Guarulhos. Segundo a advogada, a mulher agredida está em pânico.

Fale com a Folha da Região! Tem alguma sugestão de pauta ou quer apontar uma correção? Clique aqui e fale com nossos repórteres.

Receba as notícias mais relevantes de Araçatuba e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

2 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

  • Luis Roberto Romero
    09/04/2024
    A banana está comendo o macaco, já disse. Temos mais medo da polícia do que do bandido.
  • John Carter
    08/04/2024
    Muitos policiais militares ficam contrariados devido estarem trabalhando alinhados com leis fracas e brandas, então descontam sua frustração na primeira pessoa que mexe de alguma forma com o seu emocional. Isso, porém, trata-se de uma imensa covardia contra a sociedade, porque ao invés de canalizarem a sua raiva em nós, cidadãos, deveriam na verdade bater de frente com quem tem alguma participação na elaboração e aprovação das leis de nosso país. Vemos que não é isso que acontece, pois, quando é para baterem de frente com seus comandantes, superiores, vereadores, prefeitos, governador, etc, não o fazem, ouvimos apenas o - sim senhor, não senhor, Então não adianta ficarem frustrados, caros policiais militares, porque a omissão também é considerada ação e, por fim, acabam por ser coniventes com a criação de nossas leis.