INVESTIGAÇÕES

Polícia Civil captura 4.º suspeito de matar e ocultar corpo de homem em Bauru

Homem estava escondido em apartamento no Octávio Rasi e confessou participação no homicídio de Maikon no Parque Roosevelt

Por Larissa Bastos | 01/04/2024 | Tempo de leitura: 3 min
larissa.bastos@jcnet.com.br

Larissa Bastos

Fachada da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic)
Fachada da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic)

A Polícia Civil de Bauru capturou, nesta segunda-feira (1), o quarto homem suspeito de participar em janeiro deste ano do homicídio e ocultação do cadáver de Jeferson Michel dos Santos, de 40 anos, conhecido como Maikon, morador do Parque Roosevelt. D.H.B.A. (somente as iniciais serão divulgadas), vulgo Stewart, de 25 anos, estava escondido em um apartamento no Núcleo Octávio Rasi e confessou envolvimento no crime. O corpo da vítima, no entanto, ainda não foi encontrado.

De acordo com o delegado Cledson do Nascimento, titular da 3.ª Delegacia de Homicídios (3.ª DH) da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic) de Bauru e responsável pelo inquérito, foi apurado que o apartamento de uma tia do suspeito poderia estar sendo usado pelo foragido como esconderijo.

Com a confirmação de que o investigado teria pernoitado no imóvel, foi dada a ordem para cumprimento do mandado de prisão preventiva já expedido pela Justiça em seu desfavor, sendo o mesmo localizado dormindo em um colchão na sala. Ele não ofereceu resistência às equipes da 3.ª DH/Deic, que contaram com apoio do Grupo de Operações Especiais (GOE/Deic).

“Nesta delegacia, o mesmo foi interrogado e confessou participação no homicídio. Disse ter arrastado o cadáver da vítima junto a outros investigados para uma área de mata e ali ter deixado, porém negou ter enterrado ou removido o cadáver”, detalha Nascimento.

Em seguida, D.H.B.A. foi encaminhado para realização de exame de corpo de delito e audiência de custódia. Depois, foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Bauru, onde permaneceu à disposição da Justiça.

Um quinto suspeito de envolvimento no homicídio também foi preso temporariamente em Ibitinga, no entanto, a 3.ª DH/Deic ainda apura qual papel ele desempenhou nos crimes.

As investigações continuam a fim de identificar outros participantes e também para localizar o corpo da vítima.

RELEMBRE O CASO

Conforme o JC noticiou em 30 de janeiro deste ano, a mãe de Maikon contou ao JC que ele desapareceu na manhã de 28 de janeiro, nas proximidades da “biqueira da cerquinha” - conhecido ponto de venda de drogas no Roosevelt.

De acordo com ela, o filho costumava frequentar o local. Mas, naquele domingo, não voltou para casa. Depois, a genitora soube que Maikon havia sido espancado por traficantes e enterrado em uma grande área de mata do bairro que fica na margem da rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-294), a Bauru-Marília.

Apesar das buscas realizadas por familiares, pela Polícia Civil e Corpo de Bombeiros, o corpo de Maikon ainda não foi localizado. “Só quero poder enterrar meu filho”, lamentou a mãe da vítima.

Segundo o delegado Cledson do Nascimento, foi apurado que Maikon teria sido assassinado porque traficantes locais desconfiaram que tinha “delatado” informações a policiais militares (PMs).

OUTRAS PRISÕES

Antes de D.H.B.A., outros três indivíduos já foram capturados sob a suspeita de envolvimento no caso. Eles tinham sido presos temporariamente, porém, no curso das investigações, a Justiça converteu suas prisões temporárias em preventivas.

O primeiro detido foi o homem que gravou um vídeo de Maikon caído no chão, bastante machucado e agonizando por conta das agressões, que se apresentou acompanhado de advogado na Deic de Bauru. Questionado, S.L.S.L. negou ter participado do crime e disse ter “apenas filmado”.

Um segundo suspeito de envolvimento no caso foi capturado em 15 de fevereiro passado, no Jardim Petrópolis. J.A.X. disse ter desferido “apenas duas pauladas” na perna da vítima e alegou ter sido agredido por se recusar a ajudar a enterrar o corpo.

A terceira captura foi em 12 de março último, quando J.C.O.C., de 25 anos, também foragido da Justiça, foi encontrado em um cortiço no bairro São Vicente, em Itajaí (SC), durante operação da Polícia Civil de Santa Catarina em apoio à Deic de Bauru.

Fale com a Folha da Região! Tem alguma sugestão de pauta ou quer apontar uma correção? Clique aqui e fale com nossos repórteres.

Receba as notícias mais relevantes de Araçatuba e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.