FEMINICÍDIO

Mulher de 24 anos é morta carbonizada por marido no Jardim Aeroporto II, em Franca

Esta seria a segunda vez que o homem teria tentado matar a mulher. Mas, agora, ela morreu antes mesmo de ser socorrida.

21/02/2024 | Tempo de leitura: 1 min
da Redação

WhatsApp/GCN

Movimentação policial em frente ao local do crime
Movimentação policial em frente ao local do crime

Atualizado às 14h48

Sara Cristina Candeias Carvalho, de 24 anos, foi morta carbonizada pelo próprio marido, dentro de uma casa no Jardim Aeroporto II, zona Sul de Franca, na manhã desta quarta-feira, 21. No início deste ano, o homem já havia agredido a vítima, inclusive, com golpes de faca.

Nesta manhã, ele consumou o plano de matar a mulher, ateando fogo ao corpo dela. Segundo apurado no local, após o crime, o assassino ligou por videochamada para uma ex-companheira e mostrou o corpo da mulher queimada. Foi essa ex quem acionou o 190.

Policiais civis e militares estão no local do crime. O autor, que seria ex-presidiário, conseguiu fugir.

Agressões em janeiro
Na primeira vez em que foi agredida pelo marido, no dia 6 de janeiro, a vítima ficou em estado grave após ser enforcada e esfaqueada, também na residência da família, no Aeroporto II.

Naquele dia, o casal teria discutido, quando o homem a agrediu na cabeça. Ele foi até a casa de sua irmã, avisou que tinha cometido o crime e fugiu.

Uma equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi até o local e socorreu a vítima com ferimentos graves na cabeça para a Santa Casa de Franca. A Polícia Científica apreendeu uma faca e um martelo no local do crime.

Fale com a Folha da Região! Tem alguma sugestão de pauta ou quer apontar uma correção? Clique aqui e fale com nossos repórteres.

Receba as notícias mais relevantes de Araçatuba e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

4 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

  • Maria
    21/02/2024
    E ele não estava preso desde a primeira agressão porque?
  • Claudia
    21/02/2024
    Conheço a sara ela e daqui da região de São Mateus ela tem outro três filhos fora esse bebê de seis meses muito triste isso
  • Dirceu
    21/02/2024
    E depois ainda vem quem defenda esses criminosos.... ainda vem quem defenda que eles tem direito de saidinha pra comemorar Natal, dia das mães, etc..... Esse tipo de gente não tem conserto... não tem sistema prisional que os reabilite. Esse assassino, por exemplo, se for preso, fica uns anos na cadeia e logo sai pra matar mais gente.
  • Fiel
    21/02/2024
    Um sujeito desse é um ser atávico. Não há lei que o faça respeitar a vida alheia. Ele não deveria existir mais.