MEGA-ASSALTO

Justiça condena 9 homens por participação em um dos maiores roubos a banco em Araçatuba

Somadas, as penas ultrapassam 470 anos de prisão em regime fechado

Por Priscilla Andrade | 06/12/2023 | Tempo de leitura: 2 min
da Redação

Durante o mega-assalto, reféns foram usados como escudo humano pelos criminosos
Durante o mega-assalto, reféns foram usados como escudo humano pelos criminosos

Os ataques a agências bancárias que deixaram três mortos em Araçatuba, além de um prejuízo de mais de R$ 17 milhões, estão na memória dos moradores da cidade desde a madrugada de 29 de agosto de 2021. O crime ficou conhecido como mega-assalto e chocou o país. Nesta terça-feira, 5, a Justiça Federal condenou nove homens - as penas, juntas, ultrapassam 470 anos de prisão em regime fechado.

As sentenças foram proferidas pelo juiz federal Fabio Luparelli Magajewski. Dos 18 réus, nove foram condenados a penas de 40 a 65 anos por integrar organização criminosa, latrocínio consumado e tentado, roubo majorado pelo concurso de pessoas, restrição da liberdade de vítimas, emprego de arma de fogo e explosão de obstáculos, incêndio e acionamento de explosivos.

Outros nove réus foram absolvidos por insuficiência de provas. Apesar da decisão da Justiça, cabe recurso por parte dos condenados.

Desde o dia do crime, a Polícia Federal prendeu cerca de 53 pessoas.

Veja abaixo os nomes dos réus condenados e as penas:

Willian Brito dos Santos: 65 anos e 8 meses de prisão em regime fechado e 501 dias-multa;
Rogerio Oliveira Rodrigues: 65 anos e 8 meses de prisão em regime fechado e 501 dias-multa;
Cristiano de Moraes Vieira: 65 anos e 8 meses de prisão em regime fechado e 501 dias-multa;
Jairo Nogueira: 40 anos e 3 meses de prisão em regime fechado e 362 dias-multa;
Welton Marinho da Silva: 65 anos e 8 meses de prisão em regime fechado e 501 dias-multa;
Renato Jorge Vianna: 7 anos e 2 meses de prisão em regime fechado e 433 dias-multa;
Ademir Luiz Rondon, que é ex-militar do Exército: 65 anos e 8 meses de prisão em regime fechado e 501 dias-multa;
Carlos Eduardo Rocha Dias: 47 anos e 2 meses de prisão em regime fechado e 433 dias-multa;
Guilherme Ciarelli dos Santos: 55 anos e 8 meses de prisão em regime fechado e 487 dias-multa.

Mega-assalto
Na noite do dia 29 de agosto de 2021, os membros da organização criminosa, fortemente armados, entraram em Araçatuba usando veículos blindados e orquestraram ataques simultâneos a agências bancárias e às sedes do Batalhão de Ações Especiais da Polícia e do Comando de Policiamento do Interior.

Veículos que estavam na região da central e nas rodovias que dão acesso à cidade foram incendiados, o objetivo era para impedir o deslocamento das equipes policiais. Alguns moradores próximos à praça Rui Barbosa, centro de Araçatuba, foram feitos reféns quando circulavam pelas ruas naquela noite. Os bandidos também armaram explosivos em alguns pontos da área central.

Após o ataque, o Centro da cidade ficou isolado durante dois dias, até que os explosivos fossem desarmados. Até hoje fachadas de prédios ostentam as marcas de fuzis.

Fale com a Folha da Região! Tem alguma sugestão de pauta ou quer apontar uma correção? Clique aqui e fale com nossos repórteres.

Receba as notícias mais relevantes de Araçatuba e região direto no seu WhatsApp
Participe da Comunidade

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.