DOIS TIROS NA CABEÇA

Traficante matou usuário por furtar dentro do bairro em São José

Por Da redação | São José dos Campos
| Tempo de leitura: 2 min
Reprodução/Polícia Civil
Maximiliano e Baixada; ao fundo, lugar onde ocorreu o crime
Maximiliano e Baixada; ao fundo, lugar onde ocorreu o crime

Líder do tráfico de drogas, o criminoso conhecido como "Baixada" executou Maximiliano Ribeiro da Silva, 32 anos, com dois tiros na cabeça, na região sudeste de São José dos Campos. O crime, ocorrido em 13 de junho de 2022, foi esclarecido agora pela Polícia Civil. Maximiliano teria sido morto por ter cometido furtos na "quebrada".

Clique aqui para fazer parte da comunidade de OVALE no WhatsApp e receber notícias em primeira mão. E clique aqui para participar também do canal de OVALE no WhatsApp. 

De acordo com a Delegacia de Homicídios, o assassinato foi cometido por Maique Carvalho dos Santos, de 34 anos, conhecido como "Baixada", que é apontado como o chefe do tráfico na região dos bairros São Leopoldo e Santa Júlia. Maximiliano foi morto em um terreno baldio, localizado entre as ruas das Carambolas e avenida José Gonçalves Campos, na Vila Iracema.

Maximiliano tinha diversos antecedentes criminais pela prática de roubo, furto, receptação e tráfico de drogas. Após uma sequência de crimes, entre 2008 e 2010, ele foi preso, depois fugiu da cadeia, acabou preso novamente e cumpriu pena, saiu do sistema prisional, foi preso em flagrante pelo roubo e progrediu para o regime aberto em 11 de novembro de 2021.

Advertência.

Quando deixou a cadeia e voltou para a casa da família, no São Leopoldo, Maximiliano, que seria dependente químico, foi advertido pelo tráfico, de que não deveria praticar furtos no bairro.

"De acordo com o apurado, Maximiliano era um usuário compulsivo de drogas, que praticava furtos de maneira reiterada no bairro onde morava e isso incomodou os criminosos que responsáveis pelo crime", diz relatório da polícia. "Como Maximiliano era conhecido no bairro justamente pela prática de furtos, logo que ele saiu da cadeia foi lhe dado um recado de que não era para ele ter essa conduta no bairro, mas ele desrespeitou", apurou a polícia.

Segundo a investigação, Baixada havia imposto uma ordem para que os usuários de drogas não praticassem crimes nas imediações, como forma de conseguir a simpatia da população. Por isso, Maximiliano foi morto.

De acordo com a polícia, durante as investigações, Baixada foi preso por tráfico de drogas e porte de arma e atualmente está preso.
A Delegacia de Homicídio informou que o caso foi esclarecido e o Ministério Público pediu a prisão preventiva de Baixada. A Justiça recebeu e denunciou o suspeito, negando, porém, a prisão. No entanto, Baixada já está preso por outro crime.

Comentários

Comentários