INVESTIGAÇÃO

Esteticista é morta e enterrada na própria casa

O corpo da mulher tinha sinais de violência. Marido e filho são considerados suspeitos.

23/05/2024 | Tempo de leitura: 2 min
da Folhapress

Reprodução/Facebook

A vítima foi identificada como a esteticista Michele de Abreu Oliveira.
A vítima foi identificada como a esteticista Michele de Abreu Oliveira.

O corpo de uma mulher de 42 anos que estava desaparecida há cerca de duas semanas foi encontrado enterrado no piso da própria casa, em Palhoça, na Grande Florianópolis. Marido e filho são considerados suspeitos.

A vítima foi identificada como a esteticista Michele de Abreu Oliveira. O corpo da mulher tinha sinais de violência.

Leia também: Desaparecida é encontrada pelo irmão enterrada no quintal da casa do ex-marido

O corpo estava no piso inferior da casa, que tinha dois pavimentos. A delegada Gisele Farias Jerônimo, à frente do caso, diz que, no início das investigações, informações e depoimentos colhidos subsidiaram a representação e expedição do mandado de busca e apreensão na residência da vítima.

A mulher foi encontrada morta na quarta-feira (22), mas a confirmação da identidade só ocorreu nesta quinta (23), conforme informações da polícia.

Marido e filho, um adolescente de 14 anos, são suspeitos do crime. Eles não foram encontrados pela polícia e são considerados desaparecidos. A Polícia Militar do estado informou que o marido se chama Márcio de Oliveira Bigóis, de 46 anos, e é natural de Passo Fundo (RS).

Michele de Abreu Oliveira chegou a ter uma medida protetiva contra o companheiro anteriormente. Mas, segundo a delegada, a medida foi revogada a pedido da vítima.

Nas redes sociais, um outro filho da vítima comentou o caso. "Venho informar que perdi a minha avó um dia antes do dia das mães de 2023. Hoje, recebo a notícia de que minha mãe foi assassinada após o dia das mães", lamentou.

Indícios de feminicídio

Evidências até o momento apontam para feminicídio. A delegada Gisele Farias Jerônimo ressaltou, no entanto, que todas as hipóteses e indícios serão analisados e considerados.

O corpo da vítima passará por perícia. Laudos irão subsidiar o inquérito policial. As investigações prosseguem no sentido de identificar a causa e circunstâncias da morte e a identificação dos envolvidos.

O caso segue em investigação. A Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Delegacia de Proteção à Criança, Mulher e Idoso de Palhoça, instaurou inquérito policial para apurar a morte da mulher.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.