TELEVISÃO

SBT decide recriar Táxi do Gugu no Domingo Legal, agora com Celso Portiolli

A produção do Domingo Legal deseja fazer apenas edições especiais durante o ano justamente para celebrar os 30 anos da criação da ideia pensada por Gugu Liberato (1959-2019).

Por Gabriel Vaquer | 17/01/2024 | Tempo de leitura: 1 min
da Folhapress

Reprodução/SBT

O retorno, porém, não será como um quadro regular da atração.
O retorno, porém, não será como um quadro regular da atração.

O SBT voltará a produzir um de seus quadros mais clássicos: o Táxi do Gugu. Criado no Domingo Legal em 1994, a nova versão será apresentada por Celso Portiolli, que atualmente apresenta a atração dominical.

A informação consta no pacote comercial do Domingo Legal enviado pelo SBT para o mercado publicitário, a qual o F5 teve acesso. A reportagem apurou que o retorno, porém, não será como um quadro regular da atração.

A produção do Domingo Legal deseja fazer apenas edições especiais durante o ano justamente para celebrar os 30 anos da criação da ideia pensada por Gugu Liberato (1959-2019).

Patrocinadores já se mostraram dispostos a bancar o quadro especial. O SBT já toma providências em relação a caracterização e planejamento de gravações, que ainda não tem previsão para a acontecer.

O Táxi do Gugu foi o primeiro grande hit de audiência do Domingo Legal quando comandado por Gugu Libertado, entre 1993 e 2009. Criado em 1994, passou a vencer a Globo com frequência devido a suas situações inusitadas.

No mesmo ano, porém, o quadro foi acusado de armar as situações que aconteciam, o que sempre foi negado pela emissora de Silvio Santos. Em 2015, Gugu Liberato chegou a voltar com o quadro em seu programa na Record, mas sem o mesmo sucesso.

Atualmente, o Domingo Legal tem médias entre 7 e 8 pontos de audiência na Grande São Paulo, e chega a ganhar da Globo aos domingos em algumas ocasiões. Cada ponto equivale a 193 mil indivíduos na capital paulista.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.