LITÍGIO

Correa diz que vende itens pessoais para viver e acusa irmã de Hickmann de desvio

Ele também imputa a designer de joias de ter se apropriado ilegalmente de um dos imóveis ex-casal. Seria nessa propriedade que ela mora com o músico Aislan, sem pagar aluguel.

10/01/2024 | Tempo de leitura: 1 min
da Folhapress

Reprodução/@fehickmann/Instagram

O empresário registrou a denúncia na 7ª Delegacia Policial (Lapa).
O empresário registrou a denúncia na 7ª Delegacia Policial (Lapa).

Alexandre Correa registrou um boletim de ocorrência contra Fernanda Hickmann nesta quarta-feira (10). O empresário acusa a irmã de Ana Hickmann de ter desviado R$ 40 mil de uma das empresas da qual é sócio com a apresentadora. Ele também imputa a designer de joias de ter se apropriado ilegalmente de um dos imóveis ex-casal. Seria nessa propriedade que ela mora com o músico Aislan, sem pagar aluguel.

O empresário registrou a denúncia na 7ª Delegacia Policial (Lapa), após ter descoberto uma transferência bancária para Fernanda no dia 18 de dezembro de 2023. Ele alega que não teria sido avisado da transação e não entendeu o motivo, já que a ex-cunhada não tem nenhuma relação oficial com a empresa para receber a tal quantia.

"Enquanto Alexandre Correa vende objetos pessoais para sobreviver e sofre bullying público e nacional após ser injustamente acusado de desviar recursos de seu próprio patrimônio por sua esposa, a irmã da apresentadora apropria-se ilegalmente de R$ 40 mil", diz o advogado Enio Murad, que ainda questiona: "Quem está sendo realmente roubado nessa história ?".

Em resposta à reportagem, a assessoria de Ana Hickmann afirma que Fernanda é prestadora de serviços do Grupo Hickmann e que teria recebido R$ 40 mil para o pagamento de funcionários, contas e despesas "Ela recebeu a quantia de maneira contabilizada e comprovável. Não há, portanto, desvio ou apropriação de tais valores. Todos os esclarecimentos estão sendo prestados às autoridades", completa a nota.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.