VIOLÊNCIA

VIOLÊNCIA

Sobrinha de mulher morta ao comer bombom envenenado diz que mais pessoas comeram

Sobrinha de mulher morta ao comer bombom envenenado diz que mais pessoas comeram

Lindaci Viegas Batista de Carvalho, 54, morreu após comer um bombom envenenado no Rio de Janeiro.

Lindaci Viegas Batista de Carvalho, 54, morreu após comer um bombom envenenado no Rio de Janeiro.

25/05/2023 | Tempo de leitura: 3 min
da Folhapress

da Folhapress

25/05/2023 - Tempo de leitura: 3 min

Reprodução

Lindaci Viegas Batista de Carvalho, 54, recebeu flores e chocolate envenenado no dia do aniversário

Sobrinha de Lindaci Viegas Batista de Carvalho, 54, que morreu após comer um bombom envenenado no Rio de Janeiro, contou que outras pessoas também comeram o chocolate.

Fernanda Batista disse que funcionárias do salão de beleza no qual Lindaci estava, além do filho dela e um outro familiar, também comeram o chocolate. No entanto, os dois últimos sentiram um gosto ruim e perceberam que tinham "bolinhas na boca". Fernanda contou a história em entrevista ao programa Encontro, da TV Globo, na manhã desta quinta-feira (25).

Por isso, segundo a sobrinha de Lindaci, a família suspeitou do envenenamento ainda no hospital. Com isso, a família procurou o médico que atendeu a mulher e pediu que o corpo fosse levado ao IML (Instituto Médico Legal), onde no domingo (21) foi informalmente dito aos familiares que o estômago da vítima estaria "cheio de chumbinho".

No hospital, quando a minha tia Lenice soube que ela [Lindaci] estava passando mal, ela recolheu os pertences da minha tia e deu para o meu primo [filho de Lindaci] segurar. E nisso, ele viu o chocolate e comeu, e comeu com o meu tio. E nisso, eles comendo, sentiram um negócio diferente e começaram a catar da língua essas bolinhas e colocaram em um papel. Na dúvida, eles foram até o guarda do hospital tirar dúvida e perguntar se aquilo pareci chumbinho. E o guarda confirmou que era chumbinho, sim.

A suspeita de enviar os bombons envenenados foi presa ontem no bairro de Acari. Susane Martins da Silva, foi identificada após depoimento do motoboy que entregou os bombons a Lindaci no sábado (20).

A mulher foi presa em flagrante por homicídio duplamente qualificado, provocado por envenenamento e motivo fútil. Ela não possui antecedente criminal.

Familiares disseram que o crime foi motivado por ciúmes, já que a suspeita é ex-namorada do companheiro de Lindaci. Ainda conforme a família, a mulher havia sido ameaçada anteriormente.

"Temos provas dela fazendo as ameaças, foto dela segurando arma com mensagem ameaçadora para minha irmã. [...] Foi tudo muito macabro, muito premeditado. Ela colocou o próprio filho para entregar o bombom ao motoboy, porque ela sabia que se desse qualquer problema, o garoto não seria preso porque é menor de 18 anos", disse Lenice Batista, irmã da vítma.

Segundo a polícia, havia um relacionamento conturbado do casal e muitas idas e vindas. Susane sempre desconfiou que Mario a estava traindo com Lindaci e resolveu se vingar justamente no dia do aniversário dela, para não chamar atenção.

"Susane sempre desconfiou que Mário estava lhe traindo com sua ex e resolveu se vingar justamente no dia do aniversário desta para não chamar a atenção, dando-lhe flores e bombons que estavam envenenados", contou a Polícia Civil, em nota.

De acordo com o responsável das investigações, o delegado Fabio Souza, o crime foi premeditado: "Susane chegou a chorar na delegacia, contou histórias desconexas, mas não negou o crime. Ela preferiu ficar em silêncio e não apresentou resistência. Em relação ao filho dela, primeiro temos que saber se ele tinha conhecimento que tinha veneno nos bombons. Caso sim, a tipificação do crime pode ser agravada e ele também vai responder pelo crime", disse o titular da 20ª DP ao UOL.

A polícia não informou se Susane confessou o crime após ser presa. Ela está à disposição da Justiça. A reportagem fez contato com a advogada Taiza Matos, que faz a defesa de Susane, que informou que ainda não teve acesso à íntegra do inquérito policial e nem mesmo ao processo que determinou a prisão.

Sobrinha de Lindaci Viegas Batista de Carvalho, 54, que morreu após comer um bombom envenenado no Rio de Janeiro, contou que outras pessoas também comeram o chocolate.

Fernanda Batista disse que funcionárias do salão de beleza no qual Lindaci estava, além do filho dela e um outro familiar, também comeram o chocolate. No entanto, os dois últimos sentiram um gosto ruim e perceberam que tinham "bolinhas na boca". Fernanda contou a história em entrevista ao programa Encontro, da TV Globo, na manhã desta quinta-feira (25).

Por isso, segundo a sobrinha de Lindaci, a família suspeitou do envenenamento ainda no hospital. Com isso, a família procurou o médico que atendeu a mulher e pediu que o corpo fosse levado ao IML (Instituto Médico Legal), onde no domingo (21) foi informalmente dito aos familiares que o estômago da vítima estaria "cheio de chumbinho".

No hospital, quando a minha tia Lenice soube que ela [Lindaci] estava passando mal, ela recolheu os pertences da minha tia e deu para o meu primo [filho de Lindaci] segurar. E nisso, ele viu o chocolate e comeu, e comeu com o meu tio. E nisso, eles comendo, sentiram um negócio diferente e começaram a catar da língua essas bolinhas e colocaram em um papel. Na dúvida, eles foram até o guarda do hospital tirar dúvida e perguntar se aquilo pareci chumbinho. E o guarda confirmou que era chumbinho, sim.

A suspeita de enviar os bombons envenenados foi presa ontem no bairro de Acari. Susane Martins da Silva, foi identificada após depoimento do motoboy que entregou os bombons a Lindaci no sábado (20).

A mulher foi presa em flagrante por homicídio duplamente qualificado, provocado por envenenamento e motivo fútil. Ela não possui antecedente criminal.

Familiares disseram que o crime foi motivado por ciúmes, já que a suspeita é ex-namorada do companheiro de Lindaci. Ainda conforme a família, a mulher havia sido ameaçada anteriormente.

"Temos provas dela fazendo as ameaças, foto dela segurando arma com mensagem ameaçadora para minha irmã. [...] Foi tudo muito macabro, muito premeditado. Ela colocou o próprio filho para entregar o bombom ao motoboy, porque ela sabia que se desse qualquer problema, o garoto não seria preso porque é menor de 18 anos", disse Lenice Batista, irmã da vítma.

Segundo a polícia, havia um relacionamento conturbado do casal e muitas idas e vindas. Susane sempre desconfiou que Mario a estava traindo com Lindaci e resolveu se vingar justamente no dia do aniversário dela, para não chamar atenção.

"Susane sempre desconfiou que Mário estava lhe traindo com sua ex e resolveu se vingar justamente no dia do aniversário desta para não chamar a atenção, dando-lhe flores e bombons que estavam envenenados", contou a Polícia Civil, em nota.

De acordo com o responsável das investigações, o delegado Fabio Souza, o crime foi premeditado: "Susane chegou a chorar na delegacia, contou histórias desconexas, mas não negou o crime. Ela preferiu ficar em silêncio e não apresentou resistência. Em relação ao filho dela, primeiro temos que saber se ele tinha conhecimento que tinha veneno nos bombons. Caso sim, a tipificação do crime pode ser agravada e ele também vai responder pelo crime", disse o titular da 20ª DP ao UOL.

A polícia não informou se Susane confessou o crime após ser presa. Ela está à disposição da Justiça. A reportagem fez contato com a advogada Taiza Matos, que faz a defesa de Susane, que informou que ainda não teve acesso à íntegra do inquérito policial e nem mesmo ao processo que determinou a prisão.

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.