INTERNET

INTERNET

Jovem abandona rede social após relatar comportamentos incomuns

Jovem abandona rede social após relatar comportamentos incomuns

Pesquisa aponta que acessar redes sociais por mais de duas horas por dia dobra a probabilidade de alguém se sentir isolado

Pesquisa aponta que acessar redes sociais por mais de duas horas por dia dobra a probabilidade de alguém se sentir isolado

Por Letícia Malatesta | 05/11/2023 | Tempo de leitura: 3 min
Jornal de Jundiaí

Por Letícia Malatesta
Jornal de Jundiaí

05/11/2023 - Tempo de leitura: 3 min

DIVULGAÇÃO

Cristiane Silva, de 25 anos, relata sensação de como foi largar as redes sociais

Navegar no Instagram, Facebook, Twitter, TikTok e em outras plataformas dão a falsa sensação de pertencimento e o uso, quando em excesso, pode ser prejudicial à saúde. Entre jovens, os reflexos podem ser estresse, necessidade constante de estarem conectados e incapacidade de se desconectar.

O psicólogo Felipe Adaniya fala sobre a dualidade da rede social, a qual, pelo ser humano, pode ser usada como ferramenta útil ou como um gerador de comportamentos compulsivos e vícios. Ele ainda comenta sobre a dependência que pode ser causada pelo uso excessivo: "A dependência das redes sociais se dá por alguns fatores que são compartilhados tanto na vida real como na virtual, porém são potencializados dentro da virtual, como a própria necessidade de ser aceito nos grupos que participamos; a comparação excessiva entre seu estilo de vida e a dos outros; a necessidade constante de se encaixar em padrões; quando estar offline, ter a sensação de estar perdendo algo importante, como oportunidades, eventos e interações relevantes".

Cristiane Silva, de 25 anos, relata sua dependência pelas redes sociais. "Quando eu estava cozinhando algo, ao invés de prestar atenção apenas no alimento, eu acabava dando uma olhada no meu feed e, quando me dava conta, a comida já tinha queimado. Outra coisa que acontecia com frequência era eu deixar de fazer alguma tarefa, por ter me distraído por minutos ou até por horas nas redes, o que acabava me atrasando ou me prejudicando em coisas importantes." "Quando parei, depois de um tempo, comecei a me sentir mais produtiva e, o mais importante, percebi que comecei a dar muito mais atenção para minha filha."

CONVÍVIO

O psicólogo Felipe fala como o uso da rede pode afetar o convívio com outras pessoas. "O uso excessivo das redes sociais como atalho virtual para se relacionar e interagir com o outro pode levar a pessoa a um significativo isolamento social, por comparações constantes com o outro, gerando baixa autoestima; dificuldade de comunicação interpessoal, por insegurança de como se expressar, podendo resultar na desconexão com a realidade e, consequentemente, uma possível sensação de não pertencimento e ao sentimento de solidão."

Uma pesquisa publicada no Periódico Americano de Medicina Preventiva aponta que acessar sites como Twitter, Facebook e Snapchat por mais de duas horas por dia dobra a probabilidade de alguém se sentir isolado.

"É possível que jovens adultos que se sentiam isolados socialmente recorreram às redes sociais. Mas pode ser que o uso cada vez mais intenso de mídia social levou eles a se sentirem isolados do mundo real", diz a co-autora do estudo, Elizabeth Miller, professora de Pediatria da Universidade de Pittsburgh, em entrevista ao canal BBC Brasil.

As redes sociais podem dificultar a comunicação com o mundo externo, relata Felipe. "Com a perda de habilidades, somadas à falta de interesse do outro, como também o medo e a aversão a este tipo de interação, podemos afirmar que a manutenção destes hábitos leva a uma sensação de inadequação em ambientes com pessoas reais. Tornando mais insegura as situações reais, utilizando da esquiva e fuga em contextos como esse. A exposição constante a interações sociais idealizadas e filtradas nas redes sociais pode aumentar a ansiedade social e dificultar a capacidade das pessoas de interagirem com segurança no mundo real."

DEPOIS DE SAIR

Cristiane diz que quando saiu das redes se sentia isolada, com dificuldades para interação com o real. "Quando decidi sair das redes, pra mim, no início foi muito complicado, a sensação de isolamento que senti foi imensa, visto que as redes sociais, hoje em dia, são a base de toda a comunicação entre as pessoas. Não vou mentir, tem vezes que ainda me sinto isolada, mas levo em conta de que foi uma escolha importante para minha saúde mental e emocional, tenho que priorizar todo esforço que tive até agora, por ter parado de utilizar as redes sociais. A parte um pouco triste, é que eu não acompanho mais pessoas que eu gostava, como cantores, atores favoritos, ou até mesmo amigos de infância ou conhecidos, que não eram próximos."

Navegar no Instagram, Facebook, Twitter, TikTok e em outras plataformas dão a falsa sensação de pertencimento e o uso, quando em excesso, pode ser prejudicial à saúde. Entre jovens, os reflexos podem ser estresse, necessidade constante de estarem conectados e incapacidade de se desconectar.

O psicólogo Felipe Adaniya fala sobre a dualidade da rede social, a qual, pelo ser humano, pode ser usada como ferramenta útil ou como um gerador de comportamentos compulsivos e vícios. Ele ainda comenta sobre a dependência que pode ser causada pelo uso excessivo: "A dependência das redes sociais se dá por alguns fatores que são compartilhados tanto na vida real como na virtual, porém são potencializados dentro da virtual, como a própria necessidade de ser aceito nos grupos que participamos; a comparação excessiva entre seu estilo de vida e a dos outros; a necessidade constante de se encaixar em padrões; quando estar offline, ter a sensação de estar perdendo algo importante, como oportunidades, eventos e interações relevantes".

Cristiane Silva, de 25 anos, relata sua dependência pelas redes sociais. "Quando eu estava cozinhando algo, ao invés de prestar atenção apenas no alimento, eu acabava dando uma olhada no meu feed e, quando me dava conta, a comida já tinha queimado. Outra coisa que acontecia com frequência era eu deixar de fazer alguma tarefa, por ter me distraído por minutos ou até por horas nas redes, o que acabava me atrasando ou me prejudicando em coisas importantes." "Quando parei, depois de um tempo, comecei a me sentir mais produtiva e, o mais importante, percebi que comecei a dar muito mais atenção para minha filha."

CONVÍVIO

O psicólogo Felipe fala como o uso da rede pode afetar o convívio com outras pessoas. "O uso excessivo das redes sociais como atalho virtual para se relacionar e interagir com o outro pode levar a pessoa a um significativo isolamento social, por comparações constantes com o outro, gerando baixa autoestima; dificuldade de comunicação interpessoal, por insegurança de como se expressar, podendo resultar na desconexão com a realidade e, consequentemente, uma possível sensação de não pertencimento e ao sentimento de solidão."

Uma pesquisa publicada no Periódico Americano de Medicina Preventiva aponta que acessar sites como Twitter, Facebook e Snapchat por mais de duas horas por dia dobra a probabilidade de alguém se sentir isolado.

"É possível que jovens adultos que se sentiam isolados socialmente recorreram às redes sociais. Mas pode ser que o uso cada vez mais intenso de mídia social levou eles a se sentirem isolados do mundo real", diz a co-autora do estudo, Elizabeth Miller, professora de Pediatria da Universidade de Pittsburgh, em entrevista ao canal BBC Brasil.

As redes sociais podem dificultar a comunicação com o mundo externo, relata Felipe. "Com a perda de habilidades, somadas à falta de interesse do outro, como também o medo e a aversão a este tipo de interação, podemos afirmar que a manutenção destes hábitos leva a uma sensação de inadequação em ambientes com pessoas reais. Tornando mais insegura as situações reais, utilizando da esquiva e fuga em contextos como esse. A exposição constante a interações sociais idealizadas e filtradas nas redes sociais pode aumentar a ansiedade social e dificultar a capacidade das pessoas de interagirem com segurança no mundo real."

DEPOIS DE SAIR

Cristiane diz que quando saiu das redes se sentia isolada, com dificuldades para interação com o real. "Quando decidi sair das redes, pra mim, no início foi muito complicado, a sensação de isolamento que senti foi imensa, visto que as redes sociais, hoje em dia, são a base de toda a comunicação entre as pessoas. Não vou mentir, tem vezes que ainda me sinto isolada, mas levo em conta de que foi uma escolha importante para minha saúde mental e emocional, tenho que priorizar todo esforço que tive até agora, por ter parado de utilizar as redes sociais. A parte um pouco triste, é que eu não acompanho mais pessoas que eu gostava, como cantores, atores favoritos, ou até mesmo amigos de infância ou conhecidos, que não eram próximos."

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.