ECONOMIA

ECONOMIA

Preço de peças bovinas apresenta queda de 9,65%

Preço de peças bovinas apresenta queda de 9,65%

Segundo pesquisas, o preço e a cotação da arroba do boi baixaram demasiadamente nos últimos meses

Segundo pesquisas, o preço e a cotação da arroba do boi baixaram demasiadamente nos últimos meses

Por Rafaela Silva Ferreira | 16/09/2023 | Tempo de leitura: 2 min
Jornal de Jundiaí

Por Rafaela Silva Ferreira
Jornal de Jundiaí

16/09/2023 - Tempo de leitura: 2 min

Divulgação

Leandro Cassaro comenta que a baixa dos preços é atípica, mas pode voltar 'ao normal' no fim do ano

No contexto atual de instabilidade econômica e aumento dos preços de diversos produtos, uma notícia positiva chega para aliviar o bolso dos consumidores brasileiros. De acordo com o Índice Oficial de Inflação (IPCA), o preço das carnes registrou uma queda média de 9,65% no acumulado do ano até agosto, representando uma das maiores reduções de preços entre produtos alimentares.

Em uma pesquisa rápida de preços nos açougues de Jundiaí, a reportagem do JJ conversou com Leandro Cassaro, proprietário de um desses estabelecimentos no Jardim Santa Teresa. "Estamos acompanhando de perto a queda nos preços das carnes, inclusive, sendo uma situação atípica. Em todos esses anos na indústria, nunca vi uma redução nestas proporções. Notamos também que a demanda por esses cortes tem diminuído nos últimos meses, e isso é um reflexo da situação econômica do país", comenta sobre os motivos da queda.

No contexto das carnes "commodities" (que funcionam como matéria prima), é importante entender que algumas variedades são negociadas em mercados internacionais. Isso significa que essas carnes são influenciadas por diversos fatores que podem levar a queda ou aumento de preços. "Essas carnes sofrem mais quedas de preços. O preço e a cotação da arroba do boi baixaram muito recentemente. Aqui no açougue, os preços caíram de 12% a 18%. As carnes consideradas 'premiums' não sofrem queda brusca nos preços, mas estamos acompanhando."

Leandro também pontua que situações em que o preço da carne está mais baixo que o normal, podem acontecer devido a promoções por validade do produto. "Precisa tomar cuidado. Isso tem muito a ver com qualidade da peça também."

Já Márcio Cacezes, proprietário de um açougue na rua Senador Fonseca, pontua que a alteração de preços nas peças estão para acontecer. "Ainda não recebemos a baixa de preço, mas ela virá. Acontece que os frigoríficos estão abatendo os bois comprados, que já vieram com um preço determinado. Então, para que essa baixa chegue até nós, é necessário outra leva de bois. Mas acredito que na próxima semana já poderemos alterar os valores."

A queda de preço na carne bovina pode ser explicada por diversos fatores econômicos e de mercado. No cenário que Márcio menciona, a China não está importando carne do Brasil, um fator significativo que contribui para a sobra de cortes bovinos. "Quando a China reduz suas importações de carne, isso pode resultar em um excedente de carne brasileira no mercado interno e, consequentemente, a redução de preços."

Embora a demanda por carne de alta qualidade possa ser mais resistente a variações econômicas, a demanda por cortes de segunda categoria é mais sensível a mudanças nos preços. "Essa redução de preços acontecerá principalmente nas carnes de segunda categoria, como paleta, coxão mole, e músculo", completa Márcio.

Por lá, os cortes bovinos custam entre R$ 17 a R$ 120, dependendo da carne escolhida.

No contexto atual de instabilidade econômica e aumento dos preços de diversos produtos, uma notícia positiva chega para aliviar o bolso dos consumidores brasileiros. De acordo com o Índice Oficial de Inflação (IPCA), o preço das carnes registrou uma queda média de 9,65% no acumulado do ano até agosto, representando uma das maiores reduções de preços entre produtos alimentares.

Em uma pesquisa rápida de preços nos açougues de Jundiaí, a reportagem do JJ conversou com Leandro Cassaro, proprietário de um desses estabelecimentos no Jardim Santa Teresa. "Estamos acompanhando de perto a queda nos preços das carnes, inclusive, sendo uma situação atípica. Em todos esses anos na indústria, nunca vi uma redução nestas proporções. Notamos também que a demanda por esses cortes tem diminuído nos últimos meses, e isso é um reflexo da situação econômica do país", comenta sobre os motivos da queda.

No contexto das carnes "commodities" (que funcionam como matéria prima), é importante entender que algumas variedades são negociadas em mercados internacionais. Isso significa que essas carnes são influenciadas por diversos fatores que podem levar a queda ou aumento de preços. "Essas carnes sofrem mais quedas de preços. O preço e a cotação da arroba do boi baixaram muito recentemente. Aqui no açougue, os preços caíram de 12% a 18%. As carnes consideradas 'premiums' não sofrem queda brusca nos preços, mas estamos acompanhando."

Leandro também pontua que situações em que o preço da carne está mais baixo que o normal, podem acontecer devido a promoções por validade do produto. "Precisa tomar cuidado. Isso tem muito a ver com qualidade da peça também."

Já Márcio Cacezes, proprietário de um açougue na rua Senador Fonseca, pontua que a alteração de preços nas peças estão para acontecer. "Ainda não recebemos a baixa de preço, mas ela virá. Acontece que os frigoríficos estão abatendo os bois comprados, que já vieram com um preço determinado. Então, para que essa baixa chegue até nós, é necessário outra leva de bois. Mas acredito que na próxima semana já poderemos alterar os valores."

A queda de preço na carne bovina pode ser explicada por diversos fatores econômicos e de mercado. No cenário que Márcio menciona, a China não está importando carne do Brasil, um fator significativo que contribui para a sobra de cortes bovinos. "Quando a China reduz suas importações de carne, isso pode resultar em um excedente de carne brasileira no mercado interno e, consequentemente, a redução de preços."

Embora a demanda por carne de alta qualidade possa ser mais resistente a variações econômicas, a demanda por cortes de segunda categoria é mais sensível a mudanças nos preços. "Essa redução de preços acontecerá principalmente nas carnes de segunda categoria, como paleta, coxão mole, e músculo", completa Márcio.

Por lá, os cortes bovinos custam entre R$ 17 a R$ 120, dependendo da carne escolhida.

Márcio Cacezes explica os fatores para a queda de preços da carne

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.