SUPERMERCADO

SUPERMERCADO

Suspeito de furtar picanhas é detido por faxineiro e diz que agiu por 'justiça social'

Suspeito de furtar picanhas é detido por faxineiro e diz que agiu por 'justiça social'

No Plantão, o delegado o prendeu por furto e recomendou a conversão do flagrante em preventiva, observando que o suspeito não tem mais condições de continuar conviver em sociedade

No Plantão, o delegado o prendeu por furto e recomendou a conversão do flagrante em preventiva, observando que o suspeito não tem mais condições de continuar conviver em sociedade

Por Fábio Estevam | 3 dias atrás | Tempo de leitura: 2 min
Polícia

Por Fábio Estevam
Polícia

3 dias atrás - Tempo de leitura: 2 min

JORNAL DE JUNDIAÍ

No Plantão Policial ele foi preso e indiciado por furto

Um homem de 25 anos foi detido na tarde desta quarta-feira (24) em um supermercado no Centro de Itupeva, de posse de uma mochila com algumas peças de picanha que haviam acabado se ser furtadas do local. A detenção foi feita por um funcionário do setor de limpeza, a pedido da responsável pela segurança do local. A Polícia Militar foi acionada e, aos agentes, ele disse que furtou em ação por "justiça social", justificativa que ele também deu ao delegado Rodrigo Carvalhaes, no Plantão Policial.

O delegado o prendeu em flagrante por furto e recomendou à Justiça que converta o flagrante em prisão preventiva, observando que o suspeito não tem mais condições de continuar convivendo em sociedade. "A segregação cautelar é medida imprescindível à garantia da ordem pública. O indiciado é reincidente específico,endo certo que não possui freios inibitórios e faz do crime seu meio de subsistência. Percebe-se que não assimila a terapêutica penal e que, portanto, não tem mais condições de continuar convivendo em sociedade. Não se pode permitir que continue livre praticando crimes contra o patrimônio, transferindo à sociedade o ônus das suas condutas desajustadas. Portanto, estão preenchidos os requisitos do artigo 312 e 312 do Código de Processo Penal."

COMO FOI

A encerregada da segurança do mercado estava de serviço, quando percebeu quando um homem saiu correndo de dentro do mercado, descendo a rampa na direção do estacionamento, carregando uma mochila. Neste momento um cliente se aproximou e denunciou que ele havia colocado peças de picanha na mochila e por isso estava fugindo. A segurança, por sua vez, pediu ajuda ao faxineiro, para que ele fosse deter o suspeito. Este, por sua vez, deixou seu trabalho de limpeza para correr atrás de bandido, sendo que conseguiu deter o suspeito já ao lado de fora do supermercado, logo depois de ele ter dispensado a mochila que carregava.

Na mochila abandonada o faxineiro encontrou as peças de picanha. A Polícia Militar compareceu logo em seguida e os policiais foram ofendidos pelo suspeito, que confessou o furto, alegando que assim agiu por "justiça social".

Na delegacia ele pediu que acionassem seu advogado, que informou que não poderia comparecer, mas que estará presente na audiência de custódia nesta quinta-feira (25).

Um homem de 25 anos foi detido na tarde desta quarta-feira (24) em um supermercado no Centro de Itupeva, de posse de uma mochila com algumas peças de picanha que haviam acabado se ser furtadas do local. A detenção foi feita por um funcionário do setor de limpeza, a pedido da responsável pela segurança do local. A Polícia Militar foi acionada e, aos agentes, ele disse que furtou em ação por "justiça social", justificativa que ele também deu ao delegado Rodrigo Carvalhaes, no Plantão Policial.

O delegado o prendeu em flagrante por furto e recomendou à Justiça que converta o flagrante em prisão preventiva, observando que o suspeito não tem mais condições de continuar convivendo em sociedade. "A segregação cautelar é medida imprescindível à garantia da ordem pública. O indiciado é reincidente específico,endo certo que não possui freios inibitórios e faz do crime seu meio de subsistência. Percebe-se que não assimila a terapêutica penal e que, portanto, não tem mais condições de continuar convivendo em sociedade. Não se pode permitir que continue livre praticando crimes contra o patrimônio, transferindo à sociedade o ônus das suas condutas desajustadas. Portanto, estão preenchidos os requisitos do artigo 312 e 312 do Código de Processo Penal."

COMO FOI

A encerregada da segurança do mercado estava de serviço, quando percebeu quando um homem saiu correndo de dentro do mercado, descendo a rampa na direção do estacionamento, carregando uma mochila. Neste momento um cliente se aproximou e denunciou que ele havia colocado peças de picanha na mochila e por isso estava fugindo. A segurança, por sua vez, pediu ajuda ao faxineiro, para que ele fosse deter o suspeito. Este, por sua vez, deixou seu trabalho de limpeza para correr atrás de bandido, sendo que conseguiu deter o suspeito já ao lado de fora do supermercado, logo depois de ele ter dispensado a mochila que carregava.

Na mochila abandonada o faxineiro encontrou as peças de picanha. A Polícia Militar compareceu logo em seguida e os policiais foram ofendidos pelo suspeito, que confessou o furto, alegando que assim agiu por "justiça social".

Na delegacia ele pediu que acionassem seu advogado, que informou que não poderia comparecer, mas que estará presente na audiência de custódia nesta quinta-feira (25).

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.