LEGADO

LEGADO

Aos 94 anos, morre Fábio Del Bianco, avô do advogado Guilherme Del Bianco de Oliveira

Aos 94 anos, morre Fábio Del Bianco, avô do advogado Guilherme Del Bianco de Oliveira

Idoso era casado havia 74 anos, tem sete filhos, treze netos e onze bisnetos.

Idoso era casado havia 74 anos, tem sete filhos, treze netos e onze bisnetos.

Por Karla Rodrigues | 07/11/2023 | Tempo de leitura: 2 min
da Redação

Por Karla Rodrigues
da Redação

07/11/2023 - Tempo de leitura: 2 min

Reprodução

idoso realizava o tratamento do enfisema pulmonar, que começou a ter uma piora significativa nos últimos três anos.

O aposentado Fábio Del Bianco, 94 anos, morreu na tarde dessa segunda-feira, 6, em Franca, devido a complicações na saúde causadas por um enfisema pulmonar. O idoso é avô do advogado Guilherme Del Bianco de Oliveira.

Há dez anos, Fábio realizava o tratamento do enfisema pulmonar, que começou a ter uma piora significativa nos últimos três anos. No dia 29 de outubro deste ano, foi internado com agravamento da doença, e não resistiu devido à idade avançada.

Apaixonado pelas coisas simples da vida, Fábio amava reunir a família na chácara de sua propriedade aos domingos. Ele foi agricultor e proprietário de uma mercearia, estando agora aposentado.

Casado havia 74 anos com Nirce Borges Del Bianco, de 92 anos, tiveram 7 filhos, 13 netos e 11 bisnetos. Ele sempre exigia a presença de todos. “Ele era o grande responsável, não por fazer o almoço, mas por cobrar que cada um estivesse lá”, diz o neto.

Nessas reuniões, buscava deixar o dia de cada familiar mais feliz. “Não era um ato formal, era um ato de alegria. Ele fazia questão de que todos se sentissem à vontade para celebrar com ele”, recorda Guilherme.

"Ele não reuniu muitos bens, mas reuniu muitas pessoas que o amavam e sempre estavam ao seu redor. Ele não tinha formação, mas era um grande sábio. Ele não viveu no luxo, mas era um luxo estar ao seu lado", completou o neto.

Para o advogado, o alto astral do avô vai fazer falta. “Meu avô deixou um legado de que a gente tem que viver celebrando, encontrando o lado bom das coisas da vida, trabalhando, se esforçando, mas sempre vivendo a vida e aproveitando dela também. Ele deixa saudade”.

Apesar da dor da perda, o neto acredita que todos vão guardar o legado ensinado pelo avô: aproveitar os momentos com quem ama. “Ele era uma pessoa muito querida, muito amada por todos. Ele deixa um legado sobre esse tipo de valor, de ter uma família unida, de ponderar valores de união, de sempre encontrar o lado bom das coisas, mesmo nos momentos difíceis. Ele foi demais. Foi uma grande honra viver tanto ao seu lado.”

O velório de Fábio está sendo realizado nesta terça-feira, 7, na sala 2 do São Vicente, das 6h às 16h. O sepultamento será, em seguida, no Cemitério da Saudade.

O aposentado Fábio Del Bianco, 94 anos, morreu na tarde dessa segunda-feira, 6, em Franca, devido a complicações na saúde causadas por um enfisema pulmonar. O idoso é avô do advogado Guilherme Del Bianco de Oliveira.

Há dez anos, Fábio realizava o tratamento do enfisema pulmonar, que começou a ter uma piora significativa nos últimos três anos. No dia 29 de outubro deste ano, foi internado com agravamento da doença, e não resistiu devido à idade avançada.

Apaixonado pelas coisas simples da vida, Fábio amava reunir a família na chácara de sua propriedade aos domingos. Ele foi agricultor e proprietário de uma mercearia, estando agora aposentado.

Casado havia 74 anos com Nirce Borges Del Bianco, de 92 anos, tiveram 7 filhos, 13 netos e 11 bisnetos. Ele sempre exigia a presença de todos. “Ele era o grande responsável, não por fazer o almoço, mas por cobrar que cada um estivesse lá”, diz o neto.

Nessas reuniões, buscava deixar o dia de cada familiar mais feliz. “Não era um ato formal, era um ato de alegria. Ele fazia questão de que todos se sentissem à vontade para celebrar com ele”, recorda Guilherme.

"Ele não reuniu muitos bens, mas reuniu muitas pessoas que o amavam e sempre estavam ao seu redor. Ele não tinha formação, mas era um grande sábio. Ele não viveu no luxo, mas era um luxo estar ao seu lado", completou o neto.

Para o advogado, o alto astral do avô vai fazer falta. “Meu avô deixou um legado de que a gente tem que viver celebrando, encontrando o lado bom das coisas da vida, trabalhando, se esforçando, mas sempre vivendo a vida e aproveitando dela também. Ele deixa saudade”.

Apesar da dor da perda, o neto acredita que todos vão guardar o legado ensinado pelo avô: aproveitar os momentos com quem ama. “Ele era uma pessoa muito querida, muito amada por todos. Ele deixa um legado sobre esse tipo de valor, de ter uma família unida, de ponderar valores de união, de sempre encontrar o lado bom das coisas, mesmo nos momentos difíceis. Ele foi demais. Foi uma grande honra viver tanto ao seu lado.”

O velório de Fábio está sendo realizado nesta terça-feira, 7, na sala 2 do São Vicente, das 6h às 16h. O sepultamento será, em seguida, no Cemitério da Saudade.

Quer receber as notícias mais relevantes de Franca e região direto no seu WhatsApp? Faça parte da comunidade GCN/Sampi e fique sabendo de tudo em tempo real. É totalmente gratuito! Abra o QR Code.

Participe da Comunidade

Quer receber as notícias mais relevantes de Franca e região direto no seu WhatsApp? Faça parte da comunidade GCN/Sampi e fique sabendo de tudo em tempo real. É totalmente gratuito!

Participe da Comunidade

COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal SAMPI e se comprometem a respeitar o código de Conduta On-line do SAMPI.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.