OPINIÃO

Entrelinhas

da Redação
| Tempo de leitura: 2 min
JC Imagens

Caso hacker 1

Além dos pontos já esperados, também vai pesar na reunião legislativa de hoje (leia mais na página 3) a recente revelação de novos documentos do caso hacker que apontam para movimentação milionária na conta de um parente de Patrick César da Silva Brito. Ele diz ter recebido R$ 162 mil para monitorar a maior parte dos vereadores.

Caso hacker 2

A questão, de qualquer forma, é saber como os vereadores da base do governo vão reagir às declarações do hacker de que eles também foram alvo do cunhado de Suéllen, Walmir Vitorelli. Até porque os pagamentos ao hacker teriam sido feitos através de aplicações em títulos CDB, o que dificulta o rastreamento da origem dos valores - mas não torna impossível.

A pauta

Em discussão única, será apreciado hoje um veto total de autoria da chefe do Executivo ao PL que proíbe queimadas e estabelece penalidades; além de outros 6 Projetos de Decreto Legislativo e 4 Moções de Aplauso também em única discussão. Os trabalhos legislativos começam a partir das 13h.

Digitalização

A Câmara enfim avança na digitalização de processos. A Casa vota nesta quarta um projeto que implementa o instrumento da assinatura eletrônica para rubricar contratos. Veio tarde, mas veio…

Audiência

O julgamento da ação penal que acusa os familiares de Edison Bastos Gasparini Júnior, além dele mesmo, de associação criminosa e lavagem de dinheiro pelo desvio de R$ 54 milhões da Companhia de Habitação Popular de Bauru (Cohab) ainda deve demorar. A 3.ª Vara Criminal de Bauru marcou para 29 de outubro audiência para ouvir testemunhas de defesa do ex-presidente da Cohab.

Processo

O fato de a ação penal não ter desfecho tão cedo não é inesperado. A denúncia do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), um braço do Ministério Público de São Paulo (MP-SP), só foi aceita em outubro do ano passado.

Aspas

"Conclui-se, portanto, que a denúncia expôs, com clareza e à saciedade, os fatos que configuram as infrações penais atribuídas aos réus, permitindo-lhes exata compreensão de toda a acusação, de forma a lhes proporcionar o exercício da ampla defesa", escreveu o juiz Fábio Correa Bonini quando da decisão que colocou Gasparini e familiares no banco dos réus.

Comentários

Comentários