LUTO

Aos 41 anos, morre Erica Cristina dos Santos Domingues

Por Pedro Baccelli | da Redação
| Tempo de leitura: 2 min
Sampi/Franca
Arquivo familiar
Erica Cristina dos Santos Domingues, de 41 anos
Erica Cristina dos Santos Domingues, de 41 anos

Aos 41 anos, Erica Cristina dos Santos Domingues não resistiu aos impactos de uma transfusão de sangue e morreu em decorrência de uma parada cardiorrespiratória na madrugada desta quinta-feira, 20, no Hospital do Coração de Franca. A dona de casa deixou o marido Jamil Benedito Domingues Filho, além das filhas Talyta, de 16 anos, e Polyana dos Santos Domingues, de 20 anos.

Polyana contou que a mãe lutou contra problemas nas plaquetas durante 16 anos. Nos últimos dias enfrentou uma via-sacra. Erica deu entrada na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Jardim Anita na sexta-feira, 14. De sábado, 15, até terça-feira, 18, ficou na Santa Casa de Franca. No período da noite de terça-feira, foi transferida para o Hospital do Coração. Luta que chegou ao final, horas depois.

“A enfermeira ligou e pediu para a gente comparecer ao Hospital do Coração, que ela começou a fazer transfusão de sangue e começou a sangrar pelo nariz. O corpo não aceitou, deu parada cardíaca e ela veio a falecer, por volta da meia-noite”.

Dona de casa, morava no Residencial Júlio D’Elia, em Franca. Erica frequentava a igreja Assembleia de Deus Semear em Vidas. “Gostava de escutar música evangélica, gostava de passar o tempo com a família e na igreja. Ela era uma pessoa na dela, porém, ela era uma pessoa que conversava com todo mundo, nunca guardava mágoa de ninguém, independentemente, do que possa ter acontecido”.

A filha lamenta a perda da mãe, mas faz ressalvas. “A gente perdeu o chão, porque a minha mãe era a estabilidade da família. Só que, igual falei ao meu pai, não podemos ser egoístas, porque ela estava sofrendo muito. A gente chora com a perda, óbvio, porque era uma pessoa muito querida. Só que a gente fica aliviada, porque ela não vai sentir mais dor”.

“Que Deus conforte o coração de todos, que lá de cima ela ore por nós, porque ela está em um lugar bom. Um lugar onde não há dor. Um lugar onde ela não tem os problemas que ela tinha. A gente tem que se lembrar dela feliz. Lembrar-se dos momentos que ela ria. Uma pessoa muito boa”, completou.

Comentários

1 Comentários

  • Lázaro Rocha 20/06/2024
    Que Deus de conforto a família , mas certamente ela está nos braços do paii