MEDICAMENTOS

Morador de Birigui é alvo de ação contra venda de remédios falsos

Por Priscilla Andrade | da Redação
| Tempo de leitura: 2 min
Polícia Federal
Polícia Federal deflagrou operação para desarticular grupo que atuava na comercialização de medicamentos falsificados
Polícia Federal deflagrou operação para desarticular grupo que atuava na comercialização de medicamentos falsificados

A Polícia Federal apreendeu um notebook e um celular que pertenciam a uma pessoa investigada em um suposto esquema de venda de medicamentos falsificados para órgãos públicos. Os aparelhos foram apreendidos em um endereço em Birigui, a 21 km de Araçatuba.

A ação, deflagrada na quinta-feira, 20, contra o suposto grupo criminoso faz parte da Operação Counterfeit, que tem o objetivo de desarticular uma rede criminosa especializada na venda de medicamentos falsificados para órgãos públicos.

Segundo informações da Polícia Federal, o suposto grupo criminoso teria vendido aproximadamente R$ 11 milhões em medicamentos falsificados de imunoglobulina - que em seu estado original é um anticorpo presente no soro sanguíneo em baixas concentrações. Serve para ajudar a identificar doenças e geralmente é usado em exames - as unidades falsificadas seriam vendidas para órgãos públicos no Estado do Paraná.

Morador de Birigui

Segundo a Polícia Federal, foram cumpridos 15 mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão preventiva, além de sequestro de bens, nas cidades de Curitiba/PR, Francisco Beltrão/PR, Corumbá/MS, Ladário/MS, Campo Grande/MS, São Caetano do Sul/SP, Rio de Janeiro/RJ, Nova Iguaçu/RJ e Jacobina/BA.

No Noroeste Paulista, Birigui estava na mira dos investigadores. As buscas foram realizadas em um residencial de alto padrão, com o apoio da Polícia Federal de Araçatuba. A reportagem apurou que ninguém foi preso durante a ação.

Após a apreensão dos medicamentos, a PF confirmou a falsificação completa dos remédios, desde as caixas, falsamente identificadas, até a sua composição, onde foi constatado que não havia imunoglobulina nos frascos, como deveria conter.

Denúncias

A investigação teve início a partir de informações fornecidas pela Polícia Civil do Estado do Paraná, que apontaram que uma empresa que ganhou uma licitação em 2022 para fornecer imunoglobulina ao Hospital Geral de Curitiba estaria envolvida no fornecimento de medicamentos falsificados, doses que tinham origem na Bolívia.

No decorrer da operação, dois estrangeiros - um deles, estudante de medicina - foram identificados como os principais suspeitos pela comercialização dos medicamentos. Os envolvidos estão sob investigação pelos crimes de associação criminosa, fraude à licitação e falsificação de medicamentos.

A averiguação segue em curso para desmantelar o esquema usado pelo grupo suspeito e como o investigado de Birigui atuava no esquema.

Notebook foi apreendido em Birigui
Notebook foi apreendido em Birigui
PF combate venda de medicamentos falsificados
PF combate venda de medicamentos falsificados
Aparelho celular foi apreendido durante ação em residencial  de alto padrão em Birigui
Aparelho celular foi apreendido durante ação em residencial de alto padrão em Birigui

Fale com o Folha da Região!
Tem alguma sugestão de pauta ou quer apontar uma correção?
Clique aqui e fale com nossos repórteres.

Comentários

Comentários